Tipos de marketplace: descubra o melhor para você vender

Você com acesso mensal aos conteúdos mais relevantes de logística para e-commerce e varejo

Quais os tipos de marketplace no Brasil? 9 exemplos

Existem diversos tipos de marketplace, com diferentes produtos e diferentes públicos-alvo.

Antes de entrar nesse ramo lucrativo, é recomendável que o lojista faça uma avaliação criteriosa, considerando seus objetivos e afinidade com certos nichos.

Uma maneira de iniciar bem uma trajetória de sucesso é ler este artigo até o fim.

Aqui, você vai conhecer os principais tipos de “shopping virtual” existentes para acertar em cheio na escolha.

Confira!

9 tipos de marketplace existentes no Brasil

Um ponto importante a ser destacado é que nenhum outro tipo de e-commerce tem crescido tanto no Brasil quanto o marketplace.

Apesar da pandemia, o faturamento nesse segmento representou 78% de todas as receitas do comércio virtual.

Ou seja, três em cada quatro vendas feitas pela web no Brasil foram realizadas por essas plataformas de vendas online.

Essa incrível performance se distribui entre os principais tipos de marketplaces conhecidos.

Veja a seguir como 9 deles funcionam.

1. B2C

Modalidade mais comum de marketplace, nas plataformas B2C a venda acontece de empresa para pessoa física.

O processo comercial depende da exposição dos produtos/serviços por sites ou aplicativos, nos quais o consumidor escolhe o que pretende contratar ou encomendar.

É o caso de plataformas como a Americanas, Aliexpress e Submarino, em que uma ampla gama de produtos expostos podem ser comprados junto aos lojistas cadastrados.

O cliente pode optar por receber seus produtos em casa ou, se a loja apresentar a opção, por meios alternativos, como os pick up points ou lockers.

2. Produtos físicos

Via de regra, os marketplaces B2C são também do tipo que vendem produtos físicos.

Como o nome sugere, eles são especializados na venda de mercadorias reais que podem ser ainda segmentadas por nicho ou abranger públicos mais amplos.

A grande maioria dos marketplaces está enquadrada nessa categoria.

É o caso de plataformas como B2W, Extra e Mercado Livre, entre outras.

A exemplo das plataformas B2C, quem trabalha com produtos físicos precisa contar com uma logística de entregas, que pode ser em domicílio ou em pontos de retirada.

3. Anúncio

Marketplaces de anúncio têm uma proposta ligeiramente diferente das plataformas que mencionamos até aqui.

Neste caso, a empresa que permite o cadastro de produtos para venda não faz mais do que atuar como uma vitrine.

Toda a responsabilidade pela entrega do produto recai sobre quem vende.

Em compensação, não são cobradas comissões por venda, como acontece nos marketplaces B2C e de produtos, por exemplo.

Exemplos desse tipo de plataforma são OLX, Buscapé e Google Shopping, sites em que tudo funciona gratuitamente, desde a inserção de anúncios até a conclusão das vendas.

4. B2B

Enquanto o segmento B2C tem como destinatário o consumidor final pessoa física, no B2B o alvo são as empresas.

Nessa categoria, estão os marketplaces que conectam empresas com fornecedores, que por sua vez, podem entregar tanto produtos quanto serviços.

Como tal, esse tipo de marketplace gera custos, cobrados na forma de comissões a cada venda realizada.

Ainda que grandes empresas possam ter suas lojas nessas plataformas, em geral elas são mais requisitadas por pequenos e médios negócios.

5. C2C

Os marketplaces C2C são aqueles em que a venda acontece de consumidor para consumidor.

Eles se parecem muito com as plataformas de anúncios, mas têm uma característica fundamental que os diferencia: eles permitem que os pagamentos sejam feitos pela própria plataforma.

São exemplos disso marketplaces como Enjoei, Webmotors e o já citado Buscapé (quando utilizado desta forma), entre outros.

6. Aluguel

Se considerarmos os marketplaces como grandes shoppings virtuais, então todo e qualquer site ou aplicativo que serve para exibir produtos ou serviços pode ser enquadrado em suas categorias, certo?

Isso coloca na nossa lista os chamados marketplaces de aluguel, entre os quais um dos maiores é o Airbnb, especializado em anunciar quartos e imóveis para estadia.

Outro bom exemplo desse tipo de marketplace é o Booking, que, também é voltado para pessoas em busca de hospedagem.

A diferença em relação ao Airbnb é que, além de quartos de pessoas físicas, são anunciadas vagas em hotéis, albergues, pousadas e outros tipos de hospedagem.

7. Serviços

Em uma linha parecida com a dos marketplaces de aluguel, há os que conectam pessoas que precisam de serviços diversos a outras que podem oferecê-los.

Podem ser enquadrados nessa categoria aplicativos como Uber, 99, iFood, Glovo, para ficar só em alguns dos mais conhecidos.

Isso insere os marketplaces na economia de compartilhamento, cuja principal característica é viabilizar produtos e serviços entre pessoas físicas, dispensando fornecedores externos.

8. De nicho

Por sua vez, os marketplaces de nicho são voltados a produtos ou serviços específicos.

Diferentemente de plataformas como Americanas e Carrefour, em que uma gama variada de produtos são vendidos, neles o foco é somente uma categoria.

É o caso de marketplaces como Centauro e Netshoes, especializados na venda de artigos esportivos.

Também se enquadram nessa categoria plataformas como a Madeira Madeira, voltada ao segmento de casa, decoração e construção, e Dafiti, especializada em moda e vestuário.

9. Agendamento

Como vimos até aqui, os marketplaces servem para anunciar tanto produtos quanto serviços.

Assim sendo, os profissionais liberais também contam com plataformas em que podem anunciar seus serviços e realizar marcações de atendimento por meio delas.

O melhor exemplo desse tipo de marketplace é o Doctoralia, em que médicos e profissionais de saúde divulgam suas atividades e agendamento de consultas.

Qual o melhor tipo de marketplace para você?

Vale destacar que um marketplace nem sempre se enquadra em uma única categoria.

Existem plataformas que são de serviços, B2C e anúncios ao mesmo tempo, entre outras possíveis combinações.

Por isso, a escolha da plataforma certa vai depender fundamentalmente do segmento em que você atua e do público que pretende alcançar.

Vai vender em marketplaces? Tenha a parceria da Pegaki

Os diversos tipos de marketplace, exceto os de serviços, têm uma coisa em comum: demandam uma logística de entregas para que os produtos cheguem ao consumidor.

Nesse caso, sua melhor alternativa para entrega em todo o Brasil com fretes até 70% mais em conta é a Pegaki Envios.

Funciona da seguinte forma: você vende e a gente conecta você às transportadoras, que por sua vez distribuem os produtos nos pontos de retirada cadastrados, nos quais o consumidor retira sua encomenda.

É uma opção rápida, prática e muito mais vantajosa para todos os envolvidos.

Conheça nossa proposta e veja como estamos revolucionando a maneira de fazer entregas no Brasil!


Você com acesso mensal aos conteúdos mais relevantes de logística para e-commerce e varejo