Produtos mais vendidos na internet: veja os top 40

Você com acesso mensal aos conteúdos mais relevantes de logística para e-commerce e varejo

Conheça os 40 produtos mais vendidos na internet (e venda você também)

Trabalhar com os produtos mais vendidos na internet é uma vantagem e tanto para quem tem um e-commerce.

Ainda que a concorrência seja mais acirrada, o público também é bem maior para quem oferece produtos com grande aceitação.

Por outro lado, é preciso não só vender, mas garantir a entrega e um bom pós-venda, principalmente quando se vende itens de maior valor agregado.

Quanto mais diversificada for a sua prateleira de produtos, maiores as chances de lucrar e também o tamanho da responsabilidade na questão logística.

São questões que vamos apresentar neste artigo, com direito a uma lista comentada dos produtos mais vendidos e mais procurados na internet.

Acompanhe atentamente!

40 produtos mais vendidos na internet

Com base nas tendências do maior marketplace do Brasil, o Mercado Livre, veja abaixo quais são os 40 produtos mais vendidos por essa modalidade de e-commerce:

  1. Pastilhas adesivas
  2. Strobo led
  3. Kit berço
  4. Luva de vinil
  5. Chinelo ortopédico
  6. Jardim vertical artificial
  7. Carteira feminina grande
  8. MacBook Air M1
  9. Adesivos para carro
  10. Carrinho de feira
  11. Tênis Allstar Converse
  12. Carabina pcp (ar comprimido)
  13. Vestido de madrinha
  14. Camisa social masculina
  15. Espelho para banheiro
  16. Mesinha lateral
  17. Portão para cachorros
  18. Bocal de lâmpada
  19. Calça feminina
  20. Calça social feminina
  21. Kit quadros
  22. Saída de praia
  23. Sandália feminina salto
  24. Guilhotina para papel
  25. Centro de mesa
  26. Roupas infantis no atacado
  27. Tênis feminino infantil
  28. Necessaire feminina
  29. Cortina para quarto
  30. Saída de praia curta
  31. Laser
  32. Cardigãs feminino
  33. PS3 Slim
  34. Caminhão baú
  35. Aplique invisível
  36. Creatina marca Universal
  37. Carimbos para unhas
  38. Rímel
  39. Micro-ondas
  40. Pneu R 195 60/15

A lista é atualizada constantemente, então, fique sempre de olho para não perder nenhuma oportunidade de lucrar em seu e-commerce.

Os produtos mais vendidos em cada categoria

Quem está dando os primeiros passos no comércio virtual pode ficar em dúvida na hora de escolher o nicho de mercado para trabalhar.

Afinal, o que vender e para quem vender?

Então, se não tem um produto ou linha de produtos em que você seja exatamente um especialista, a maneira mais segura de começar é optar por oferecer os “best sellers”.

Dessa forma, minimizam-se os riscos típicos de um negócio em seus primeiros meses, ao mesmo tempo em que se potencializa o retorno sobre o investimento.

Claro que, para vender bem, é preciso conhecer os itens disponibilizados, até para que as estratégias e ações de marketing digital sejam mais efetivas.

Por isso, ao decidir com quais produtos trabalhar, procure se aprofundar o máximo possível em suas especificações, formas de usar e como proceder caso eles apresentem defeitos.

Dito isso, confira na sequência o top 10 dos produtos mais vendidos por categoria, tomando como referência a lista do Mercado Livre e de outros grandes marketplaces na web.

1. Vestuário

Uma pesquisa publicada no portal Ecommerce Brasil revela que os brasileiros estão entre os que mais gastam com roupas no mundo.

Não surpreende, portanto, que o top 10 das categorias mais vendidas seja puxado pelo comércio de peças de vestuário.

De qualquer forma, não basta apenas vender roupas.

Para ter sucesso nesse segmento concorrido, é fundamental oferecer qualidade e, para isso, o ideal é se especializar em um nicho.

Aliás, uma olhada na lista dos 40 itens mais vendidos em marketplaces acima já traz boas ideias do que vender focando em públicos mais específicos.

Embora a moda feminina seja tradicionalmente mais forte, há boas oportunidades para quem trabalha com moda masculina e também infantil.

2. Calçados

Segundo o estudo “Calçados no Mundo” da APICCAPS, o Brasil ocupa uma posição de destaque como um dos maiores produtores mundiais.

O país ocupa o quinto lugar, com uma produção estimada de 821 milhões de pares.

Embora tenha passado por uma queda brusca nas vendas no ano da pandemia, a expectativa para os próximos anos é de recuperação, como aponta o último relatório da ABICALÇADOS.

Vale destacar que parte das vendas dessa indústria é puxada pela de roupas.

Logo, espera-se que com o aquecimento do mercado de vestuário, o de calçados também se fortaleça.

Outro ponto em comum é a especialização.

Assim como no segmento de roupas, o lojista pode também focar em públicos mais específicos para aumentar as vendas de forma estratégica.

3. Smartphones

Outro segmento que está em expansão é o de smartphones, que cresceu 3% depois do primeiro ano de pandemia, registrando aumento de 17% no faturamento no 1º trimestre de 2021.

Isso sem contar que mais da metade da população é usuária de pelo menos um celular, como aponta um estudo publicado na revista Exame.

Em um mercado tão grande, é possível lucrar não só com a venda de aparelhos, mas também com a de acessórios, peças e equipamentos.

Por outro lado, como se trata de produtos de alto valor agregado, é indicado que o e-commerce tenha um pós-venda estruturado, principalmente para fazer trocas e reparos, se necessário.

4. Notebooks

Assim como a venda de celulares, a de notebooks também está em alta.

Segundo matéria do portal Olhar Digital, só no primeiro trimestre de 2021, as vendas aumentaram em 20%.

Ou seja, em um ritmo maior do que o dos celulares, o que talvez seja um reflexo da popularização do trabalho remoto.

Da mesma forma, quem pretende vender esse tipo de equipamento precisa contar com um suporte profissional para dar conta de eventuais trocas, devoluções e até consertos.

5. Livros

Engana-se quem pensa que o brasileiro não lê ou não consome livros.

Afinal, não é o que mostram as pesquisas.

Só na primeira metade do ano de 2021, houve aumento de 48,5% nas vendas de livros e produtos editoriais.

Esse segmento não é atrativo somente pelas vendas aquecidas.

Geralmente, quem consome esse tipo de produto é um público muito mais propenso a ser fidelizado, levando em conta leitores recreativos e os que leem por motivos acadêmicos.

6. Brinquedos

Segundo a Abrinq, a importação de brinquedos no Brasil caiu 49% em 2021 na comparação com o período pré-pandemia.

Hoje, a parcela do mercado de brinquedos ocupada pelos importados é de apenas 27%, contra 73% representado pelas fábricas nacionais.

Isso significa que temos hoje um mercado interno ainda mais aquecido e, o que é melhor, com custos mais baixos para quem vende.

Então, essa pode ser a hora de aproveitar o embalo para vender produtos “made in Brazil” com preços muito mais competitivos do que os dos itens importados.

7. Produtos para o cabelo

Outro segmento que vai muito bem é o de hair care (cuidados para o cabelo), no qual somos hoje o quarto maior mercado do mundo.

Uma vantagem a mais nesse segmento é a ampla variedade de produtos, marcas e itens que podem ser incluídos na prateleira.

Shampoos, condicionadores, cremes, gel para modelar e muitos outros podem ser vendidos pela internet com margens de lucro atrativas.

8. Perfumes

Um dado interessante sobre o mercado de fragrâncias no Brasil é que a venda de perfumes masculinos representa 60% das vendas nesse setor atualmente, segundo o Euromonitor.

Portanto, essa é a chance de vender mais para um público exigente e que, em geral, apresenta um ticket médio mais alto.

9. Artigos de armarinhos

De forma até certo ponto surpreendente, o segmento de artigos de papelaria e armarinhos está crescendo.

Boa parte disso se deve às redes sociais e ao marketing digital.

É o que aponta um estudo publicado no portal Varejo S.A, que revela a ligação entre o crescimento desse setor e o do e-commerce brasileiro.

10. Games

Com projeção para chegar à casa dos bilhões em 2021, o setor de games é um dos que mais cresceram nos últimos anos.

Segundo o Olhar Digital, o Brasil é hoje o 12º maior mercado mundial para esse tipo de produto.

Esse é outro nicho que requer do lojista uma estrutura preparada para dar conta da parte do pós-venda.

Logo, é fundamental contar com uma logística pronta para atuar em eventuais trocas, devoluções ou solicitações de assistência técnica.

Como vender produtos na internet

Para vender bem pela internet, o primeiro aspecto a ser destacado é o tipo de e-commerce em que você pretende atuar.

Afinal, as vendas em um dropshipping seguem uma dinâmica diferente da que obedecem os marketplaces, que por sua vez diferem de uma plataforma de e-commerce independente.

Tendo em vista essas diferenças, para vender mais e melhor, é preciso contar com uma estratégia de marketing digital, especialmente de conteúdo e redes sociais.

Elas devem ser seguidas de ações como promoções, anúncios e publicações em blogs que deverão ter seus resultados avaliados periodicamente com apoio de ferramentas de analytics.

Como entregar produtos vendidos na internet

Dependendo do produto e outras condições, o lojista pode deixar a escolha da forma de entrega a cargo do cliente.

Muitas vezes ele prefere buscar o produto em um ponto de retirada em vez de receber em casa, por exemplo.

Isso abre possibilidades para reduzir custos e aumentar a eficiência logística, como veremos a seguir.

Pegaki é sua parceira para vender na internet

Por mais que o modelo tradicional de entregas em casa seja o mais comumente utilizado, já existem alternativas mais interessantes para quem compra e quem vende.

Uma delas é o modelo de pontos de retirada, no qual estabelecimentos comerciais se encarregam de entregar encomendas para o consumidor final.

Nesse caso, aí vai uma dica de ouro para quem quer vender mais no e-commerce: a Pegaki Envios pode ajudar a poupar até 70% dos custos com entregas.

Conheça nossa proposta e saiba de que forma podemos ajudar você a lucrar mais, reduzindo despesas com frete e dores de cabeça com operações logísticas.


Você com acesso mensal aos conteúdos mais relevantes de logística para e-commerce e varejo